A adolescência marca o início da vida sexual de muitos meninos e as descobertas durante a relação íntima pode gerar dúvidas. A ejaculação precoce (EP) pode surgir como uma “pedra no sapato” de muitos jovens que vivenciam este momento com natural ansiedade, mas que por medo, podem acabar evitando novas situações de intimidade sexual.

Nesse sentido é importante que todos saibam o que é a ejaculação precoce e como ela pode ser tratada.

A ejaculação precoce ocorre quando o homem ejacula mais cedo do que ele pretende. A Sociedade Internacional de Medicina Sexual (ISSM) especifica três critérios para definir a ejaculação precoce:

O período entre a penetração e a ejaculação é menor do que o desejado.
Quando o homem não consegue controlar quando ejacula.
Quando o homem se sente angustiado com a situação.
Para que se possa considerar a ejaculação precoce é importante que os homens tenham uma ideia realista de qual é o tempo normal para ejaculação, e isto pode variar entre 5 e 7 minutos.

Classificação

A ejaculação precoce pode ser classificada como vitalícia ou adquirida.

A vitalícia é quando o homem enfrenta o problema desde da sua primeira experiência sexual e é caracterizada por uma ejaculação que ocorre sempre ou quase sempre antes do início da relação sexual ou dentro de um minuto após a penetração vaginal. Além disso há uma incapacidade de retardar a ejaculação em todas ou quase todas as penetrações vaginais, e que pode levar a consequências pessoais negativas, tais como angústia, incômodo, frustração fazendo com que muitos homens passem a evitar a intimidade sexual.

Já a adquirida é caracterizada quando o homem desenvolve a ejaculação precoce após um período de funcionamento sexual normal, onde é percebido uma redução significativa no período entre a penetração e a ejaculação para cerca de 3 minutos ou menos levando a consequências pessoais negativas, como angústia, incômodo, frustração fazendo também com que muitos homens passem a evitar a intimidade sexual.

Há uma causa?

Pesquisas ainda não conseguem estabelecer com exatidão as causas para a ejaculação precoce, mas já tem sido associada a condições de saúde como prostatite (inflamação da próstata), ansiedade e outras questões psicológicas. Alguns especialistas dizem existir uma relação genética para a EP, já outros acreditam em um desequilíbrio químico ou alterações de sensibilidade do receptor no cérebro de alguns homens.

Muitos homens com ejaculação precoce sentem-se envergonhados, ansiosos, deprimidos e preocupados em agradar a parceira. Homens solteiros às vezes evitam novos relacionamentos por causa do estresse gerado pela condição.

No jovem, a causa costuma estar relacionada à ansiedade e à inexperiência do ato sexual. O tratamento é realizado basicamente por meio de psicoterapia sexual (podendo ser do tipo comportamental) e de farmacoterapia.

Todos os homens, principalmente os jovens preocupados com a ejaculação precoce devem ser encorajados a procurar um urologista. Existem várias estratégias de tratamentos disponíveis que podem ajudar os homens a retardarem o tempo da ejaculação.

Fonte: Portal da Sociedade Brasileira de Urologia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *