É senso comum que a dor de uma pedra no rim não tem comparação com nenhuma outra. Essas pedras são, na verdade, cálculos formados pela aglomeração de cristais que se juntam por meio de uma alteração metabólica, resultando na Litíase Urinária. Doença crônica e costumeiramente recorrente, a Litíase tem tratamento dividido em fases medicamentosas e de remoção dos cálculos.

Entre 5 e 15% da população mundial é acometida pela doença, que tem como sintomas mais comuns forte dor na barriga, lateral das costas, na virilha ou até testículos; urina mais escura que o normal; sangue na urina; náuseas e vômitos.

Vale a pena ficar atento aos fatores de risco que podem levar à Litíase Urinária:

  • Histórico familiar ou pessoal: Já ter sofrido, ou alguém da sua família sofrer de cálculos nos rins;
  • Idade: Pedras nos rins são mais comuns nos adultos entre os 20 e os 40 anos, mas podem ocorrer em qualquer idade;
  • Sexo: Homens têm maior probabilidade de sofrer cálculos renais;
  • Desidratação: A urina mais concentrada favorece o desenvolvimento de cálculos, por isso a importância de beber a quantidade de água adequada para manter uma boa hidratação;
  • Obesidade: Índice de massa corporal elevado costuma estar relacionado com um maior risco de desenvolver pedras nos rins; uma dieta rica em proteínas, sódio e açúcar, pode aumentar a quantidade de cálcio filtrada pelos rins e aumentar o risco de cálculos.

Na dúvida procure um Urologista, que poderá fazer o diagnóstico mais preciso e certeiro – nesse caso, conte com os profissionais da Uroclínica!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *